quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Capítulo 6: Exército de POCs

No capítulo anterior de "Ressuscita!":

"Ontem, após uma manifestação na Avenida Paulista, uma garota de 19 anos foi atacada por apoiadores do candidato Bostossauro, pois usava uma camiseta com uma estampa que dizia  #EleNão. Em suas costas, os apoiadores desenharam uma suástica nazista com um canivete. O delegado que cuida do caso, amenizou o ocorrido e disse que o desenho feito trata-se de um símbolo budista de paz e amor" 

Assustadas, eu e irmã Wanda olhamos uma para a outra e quando olhamos para o televisor novamente, uma facada acertou o meu coração, a garota violentada era nada mais, nada menos do que Layla Camile.





Ressuscita! 
Capítulo 6: Exército de POCs
Autor: Thiago Pereira 
                                         Escritora e revisoura gramatical: Cleycianne Ferreira



Flashback em Cristo:

Era inverno e eu acabara de colocar Layla Camile de castigo no tanque de água gelada na lavanderia, após ela comer um pacote de bolacha inteiro, que deveria durar 2 meses, em apenas 5 dias. Nervosa e descontrolada em Cristo, entrei em casa pedindo calma ao Senhor e orando para que Layla aprendesse a comer menos, pois se ficasse obesa não se casaria com um varão bonito quando fosse mais velha. 

Fazia muito frio e Wandersson, meu marido na época, estava chegando da Lambaeróbica Gospel que fazia toda terça-feira na Congregação. Como a lavanderia ficava fora de casa, ele passou primeiro lá para deixar seus trajes suados para eu lavar no outro dia, mas logo ouvi um grito:

- Cleycianne, o que você fez? 

Saí assustada em Cristo em direção à lavanderia e me deparei com Wandersson com Layla Camile no colo, roxa e desacordada:
- Wandersson, eu só a deixei de castigo no tanque, como sempre deixo!
- Nossa filha está morta, Cleycianne!! 
Apavorados, pegamos o carro e partimos em direção ao Hospital Santa Marcelina. Wandersson dirigia, enquanto eu carregava Layla no colo e tentava aquecê-la com meu ungido e chique poncho rosa.
- Por favor, filha! Não morra! Não morra! - dizia eu com uma lágrima escorrendo de meu olho esquerdo, enquanto Wandersson falava em línguas para invocar o Espírito Santo.
Quando chegamos no hospital, o médico disse que Layla tinha sofrido uma hipotermia, mas estava viva e ficaria bem logo. Acabada e com mais peso na consciência do que o Geraldo Alckimim apoiando Dória nas eleições, fui até o quarto onde estava minha bebéia:  

- Layla, me perdoe. Eu só queria o seu bem, achei que estava fazendo a coisa certa... mas não estava! Eu prometo que nunca mais te farei mal, prometo que vou te proteger de qualquer coisa ruim que possa te acontecer. - disse eu chorando louca em Cristo, enquanto Layla dormia calmamente em seu leito. 


__________________________________________________


Vi na reportagem o hospital em que Layla estava e saí correndo puxando a Irmã Wanda, para chegarmos o mais rápido possível lá! No caminho eu só conseguia pensar na promessa que fiz à Layla Camila quando ela era pequena, o que me deixava mais nervosa e louca em Jacó ainda! 

Cheguei no hospital já gritando:

- ONDE ESTÁ LAYLA CAMILE, ELA É MINHA FILHA, SOU CLEYCIANNE A DIVA DO SENHOR E EXIJO VER MINHA FILHA NOW (agora em inglês)!
- Calma, minha Senhora -  disse uma garota colocando a mão em meu ombro.
- Calma nada! Minha filha está morrendo e eu preciso vê-la! - disse eu jogando meu cabelo para o lado esquerdo, bem nervosona em Cristo.
- Eu vou te levar até a Layla, eu sou Luana, a namorada dela. Prazer! 

Meio tonta, me calei e segui a pequena sapatão pelos corredores do hospital. Quando cheguei no quarto em que Layla estava, ela olhou para mim, virou o rosto em outra direção e com uma voz triste disse: 

- O que você está fazendo aqui?
- Layla, eu sou uma mãe horrível. Te vendi por mil reais para comprar um pole dance quando você era bebéia, quase te matei de hipotermia quando você era pré-adolescente e agora que você é adulta, te deixei ir ao encontro de monstros que fizeram isso com você. Se eu tivesse te aceitado, se eu tivesse te abraçado e conversado, teríamos ido embora juntas e nada disso teria acontecido. Eu sou péssima, vim combater o Satanás na Terra e estou sendo pior do que ele - disse eu ajoelhada e chorando bastante.
- Mãe, não foi culpa sua. Após nosso encontro na manifestação, eu sai correndo louca de nervoso, rolei pelo chão da Paulista e enquanto chorava num cantinho escuro, esses caras me pegaram. Pior é que estão dizendo que isso é um sinal budista e que eu mesma fiz para chamar atenção... - disse Layla deixando escorrer uma lágrima de seu olho esquerdo. 
- Filha, eu acredito em você e prometo que enquanto estiver na Terra, eu estarei do seu lado. Só peço que tenha paciência comigo, pois para mim é algo bem novo ter uma filha lésbica masculina. E apesar de ser uma Serva do Senhor conhecida mundialmente, eu não vou me importar com o que as pessoas da Igreja Ungida vão dizer, eles foram os primeiros a me humilhar assim que cheguei. Estou do seu lado, vamos combater Satanás juntas! - disse eu apertando forte a mão de milha filha loura de cabelos curtos.
- Obrigada, mãe. Jamais esquecerei disso - disse Layla me dando um abraço longo e forte.
- Espera, espera... comprei um presente para você no caminho para o hospital para selar a nossa paz, para mostrar que eu te aceito, bebéia! Veja, uma pochete preta de couro, pois sei que vocês lésbicas masculinas amam! - disse eu toda feliz exibindo o produto em minhas mãos.
- Mãe, você é muito engraçada! - disse Layla abrindo um sorrissão. 
Conversamos durante horas, contei como era o céu, ela me contou sobre suas conquistas, seus estudos e como Wanessa, ex-Wandersson, tomou conta dela assim que morri. Layla me contou que Wanessa estava viajando para fazer shows, pois é a cover trans oficial da Beyonce no Brasil, e me contou das brigas sobre política que as duas andavam tendo, mas fomos interrompidas por Irmã Wanda que entrou na sala sorrateiramente:

- Cley, estou com as algemas! Vamos colocar em Layla e leva-la para o cativeiro gospel onde receberá a cura lésbica!
- Irmã Wanda, stop em nome do Senhor! Ninguém vai algemar e levar Layla daqui, eu aceitei que tenho uma filha lésbica masculina e daqui pra frente estarei ao lado dela para o que der e vier! - disse eu desfilando em direção à Irmã e tirando as algemas de suas mãos. 

Irmã Wanda teve que tomar um pouco de soro, pois ficou muito chocada e nervosa em Cristo, mas logo ela entendeu a minha decisão e decidiu continuar ao meu lado na luta contra Satanás!

A alta de Layla Camile não demorou e quando minha filha saiu do hospital, uma multidão a esperava e aplaudia do lado de fora.
- Quem são todas essas pessoas, Layla? - disse eu arrumando o cabelo para parecer mais bonita ainda.
- É o meu exército de POCs, mãe! Eu tenho uma página de militância no Facebook chamada "Exército das POCs" e todas essas pessoas ficaram sabendo de nossa luta através da página e vieram nos ajudar! - disse Layla Camile pegando em minha mão e me levando para o meio da multidão.
- POC significa "Perfeitas aos olhos de Cristo"! - completou Irmã Wanda. 
Encantada e com muito orgulho da minha filha, que tinha virado Diva das POCs, fui para o meio da multidão com peito cheio de esperança, pois faltavam poucos dias para a votação do segundo turno e agora era a HORA DA VIRADA! 


VEM CREN13!!


continua....





Um comentário: